quarta-feira, 17 de maio de 2017

O Brasil adernando... Não é mais BRICS, mas RICS


No último domingo, 14/V, teve início uma conferência em Pequim com a presença de 28 chefes de Estado.
Entre eles, estavam os presidentes da Rússia, Vladimir Putin; da Argentina, Maurício Macri; e do Chile, Michelle Bachelet.
Mariano Rajoy, primeiro-ministro espanhol, também marcou presença.
E o Brasil?
Ninguém sabe, ninguém viu.
O Conversa Afiada solicita ao Itamaraty, desde o início da manhã desta terça-feira, 16/V, mais informações sobre a participação do Brasil no evento.
Mas não obteve retorno em nenhuma de suas três tentativas - nem por telefone, nem por e-mail.
A verdade é que o Brasil não faz parte dos planos.
Como disse Pepe Escobar em 2016, o Brasil do Golpe é um projeto de "Excepcionalistão", uma doutrina Monroe remixed.
Separar o Brasil dos BRICS ao mesmo tempo em que Rússia e China estreitam os laços e criam condições para que ambos deem um salto gigantesco!
Mas, é exatamente o que se espera de um Governo que fala grosso com a Venezuela e tira os sapatos - e o que mais for necessário - para falar com os EUA.
China, Rússia, Argentina, Chile... Todos fazem parte de um dos maiores projetos da atualidade.
E o Brasil sumiu.