segunda-feira, 18 de abril de 2016

Estou com lágrimas represadas


Estou com lágrimas represadas...
Não encontram ombros,
palavras de conforto,
abrigo.


Retidas
questionam
o silêncio
da nuvem densa
que está
sobre o país.


Estão sós
pois as dores continuam
expostas à visitação
de abutres.


Por isso não correm...
para resguardar
a coragem
do que ainda
recisará ser feito.


Não correm...
para preservar 
a humanidade
que se esconde
por dentro da pele,
nas entranhas.


Quisera sorrir...
soaria falso
diante de tanta 
falsidade
e mentiras.


Quiser ter esperanças...
mas há de se reconhecer
a profusão da maldade
a inversão súbita
de tudo e de todos.


Por isto retenho as lágrimas
são o que restam
da dignidade

Por isso as guardo.


18/04/2018