“Somos gratos ao Senhor e louvamos a Deus por este dom. E certamente queremos agradecer a todos os amigos no mundo que rezaram por Jacques e por nossa comunidade monástica, cristãos, muçulmanos ou outros, inclusive quem não crê ou crê em outra religião, pela solidariedade e proximidade”.
Com estas palavras, o sacerdote Jihad Youssef, monge da Comunidade monástica síria de Deir Mar Musa, compartilhou com a Agência Fides a sua alegria e a gratidão, assim como a de outros monges e monjas da comunidade, pela libertação do sacerdote sírio Jacques Murad, membro da comunidade monástica e Prior do mosteiro sírio católico de Qaryatayn. "Pedimos as orações e a solidariedade de cada homem e mulher de boa vontade pela paz na Síria e no mundo", acrescentou padre Jihad , “especialmente por aqueles sequestrados ou desaparecidos".
A libertação do sacerdote sírio Jacques Murad aconteceu neste domingo (12), após ter sido sequestrado por homens armados que o levaram do mosteiro de Qaryatayn, 60 km ao sudeste de Homs, no dia 21 de maio. De acordo com fontes locais, o sacerdote está bem fisicamente e ontem celebrou a missa dominical em Zaydal, cidade ao sudeste de Homs.
Padre Murad faz parte da Comunidade monástica de Deir Mar Musa, fundada pelo padre jesuíta Paolo Dall'Oglio, romano, desaparecido no norte da Síria em 29 de julho de 2013 enquanto se encontrava em Raqqa, bastião dos jihadistas do Estado Islâmico (Daesh, por sua sigla em árabe).
O território do mosteiro, de mar Elian, situado na periferia de Quaryatayn, nos anos do conflito representou um oásis de paz e de acolhimento no coração de uma região em guerra. Justamente padre Jacques, junto a um advogado sunita, tinham assumido a função de mediadores para garantir que o centro urbano de 35 mil habitantes fosse poupado por longos períodos dos confrontos entre o exército governamental e os milicianos anti-Assad, explica a Agência Fides.
No Mosteiro foram hospedados centenas de refugiados, inclusive mais de cem crianças menores de dez anos. O religioso sírio e seus amigos providenciaram o necessário para sua sobrevivência, contando também com a ajuda de doadores muçulmanos.
Em agosto passado, militantes do Daesh assumiram o controle da área, devastando o mosteiro. Durante a ofensiva no sudeste de Homs, os jihadistas fizeram reféns cerca de 270 cristãos e muçulmanos da região de Qaryatayn.
Há poucos dias, os jihadistas divulgaram em seus sites, o vídeo de um grupo de cristãos de Qaryatayn enquanto assinavam o "contrato de pagamento" – imposto proveniente do Jizya (Lei de Proteção) - para continuar a viver em suas casas, no território controlado pelo grupo fundamentalista liderado por Abu Bakr al-Baghdadi.
As imagens dessa reunião, realizada em uma sala de conferências, já haviam sido divulgadas no final de agosto. Tanto o vídeo como nas fotos, entre os participantes que atuam aparecia a figura do Padre Murad.