terça-feira, 27 de outubro de 2015

O SOPRO DE NOSSAS VIDAS

Poema que fiz para a primeira campanha de LULA PRESIDENTE, e hoje reapresento-o na comemoração de 70 anos do peão de São Bernardo tornado Presidente do Brasil

O SOPRO DE NOSSAS VIDAS

Nós queremos
alguém inteiro,
nada pela metade;
imaculado.

Alguém
nu de pecado,
saciado de pecado,
sem mais
por que pecar.

Que tenha
origem e meio
ao fim
que somos nós,
e esteja
do outro lado
do espelho
de nossas vidas;
o lado
que permanece
puro
nos olha de frente,
redimindo-nos
de nós mesmos,
tantas vezes
cruéis,
insensíveis,
assustados
com a frigidez.

Queremos alguém
que não se finja
de povo.
Seja ele!
E nada prometa
que não possa
cumprir

Que não tenha
medo
de dizer
a verdade,
amiga
do perigo,
 e entregue
seu coração
quente e latejante
nos despachos
e atos
que tomará.

Acima de tudo,
aos fracos
defenda,
além
das palavras.

Assim
queremos alguém,
o sopro
de nossas vidas,
o ser
que criamos,
 e que nos falta.