sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Os cristãos da Jordânia são os únicos do mundo que celebram o Natal juntos há 40 anos

O rio Jordão, no reino da Jordânia

Desde 1975, os líderes das igrejas cristãs do reino hachemita concordaram em celebrar a festa 
de Natal em 25 de dezembro, de acordo com o 
calendário gregoriano, e a Páscoa no dia 
determinado pelo calendário juliano

 
Este ano marca o 40º aniversário da unificação da data em que todas as igrejas
 e comunidades cristãs da Jordânia celebram o Natal. Em 1975, os líderes das 
igrejas cristãs do reino Hachemita concordaram em celebrar a festa de Natal em
 25 de dezembro, de acordo com o calendário gregoriano, e a Páscoa no dia
 determinado pelo calendário juliano.

A Jordânia é atualmente o único país do mundo em que as duas principais festas
 cristãs são celebradas em conjunto por todos os batizados. Este fato, que é fonte 
de orgulho para os cristãos do Reino, dá pé a interessantes reflexões do padre 
jordaniano Rifat Bader, diretor do Centro Católico de Estudos e Mídia. "Qual é a 
mportância de unificar estas festas? Há somente um Cristo, um só batismo, um 
só Senhor. Por que, então, as festas cristãs não são comemoradas no mesmo 
dia?", pergunta ele.

O Natal na Jordânia é feriado nacional desde 1999, ano em que ascendeu ao
 trono o rei Abdullah II.
A possibilidade de se unificarem as datas das solenidades litúrgicas cristãs no 
mundo todo se reforçou em maio de 2014, quando o patriarca copta ortodoxo
 Tawadros II enviou ao papa Francisco uma carta que recordava o primeiro 
aniversário do seu encontro no Vaticano e propunha unificar a data de 
celebração da Páscoa.