domingo, 8 de novembro de 2015

SOBREVIVENTE


Os dia passam...
Vem uma manhã
uma tarde
anoitece

Aguardo
Passam vagarosamente
Aguardo.
Observo horizontes
à espera
de um esforço coletivo.

Levam séculos
para parir.

Aguardo
Qual a velocidade 
de meus sonhos
mortos no tempo?

Passam...parece que não passam.
Pasmo
imóvel,
decifro
este devir
que não vai
nem vem
expectador de mim
disfarçado de presente.

Para o deleite do domingo
João Paulo Naves Fernandes