domingo, 8 de novembro de 2015

UMA PEQUENA APOSTA NO AMOR


O amor 
é a minha ideologia 
nunca elaborada, 
sempre por se acabar, 
infindável.

Supera 
pensamentos,
aloja-se
no coração,
linguagem
de verbo
desconhecido,
não vocabular.

Desfia
o canto
dos pássaros,
o vento
que varre
o rosto,
carícias
naturais,
ondas
que refluem
sob a areia
do mar,
absorvidas.

Declaração
não proferida,
surpresas
constantes
da identidade
oculta que nos 
acompanha.

Não há limites
em amar...
nunca se ama
finalmente,
sempre
principiantemente.

Que o amor
ensine
eduque
amanse
humildifique
aproxime
cale
proponha
pacifique
resolva
proteja
eleve
.
Somente e apenas o amor

João Paulo Naves Fernandes 
( quentinho neste domingo - (enxertando palavras ao vocabulário)