segunda-feira, 16 de julho de 2012

Campanhas foram às ruas em Sampa

Agora é a hora da verdade. As candidaturas estão nas ruas e o resultado é imprevisível.

Serra tentará dizer que o desemprego é por conta do governo federal, que por sua vez tentará mostrar o fato como episódico e pequeno dentro de um contexto de crescimento de anos, que os tucanos não foram capazes de realizar.

Serra é um antigo conhecido.

Suas ambições são, certamente, muito maiores que a de ser Prefeito de São Paulo.

Fará um discurso de que está no fim, e que permanecerá no cargo, mas se eleito, deixará um outro Kassab para a população.

Por isto o eleitor do Serra deve ver melhor o seu vice.

Russomano não caiu ainda porque é sustentado pela Universal, mas provavelmente cairá daqui a um mês.

Haddad é a incógnita da vez.

Será que subirá?

Tem contra ele a multidão de fiéis que viram suas propagandas contra a homofilia e o rejeitam.

Tem a Marta que o rejeita, e um Lula cansado que o apoia.

Vamos ver.