quinta-feira, 19 de julho de 2012

Evangélicos fazem ofensiva contra terreiro em Olinda




Estamos voltando para o tempo da intolerância religiosa, do fundamentalismo irracional, e do fanatismo. É preciso fazer o povo evangélico evoluir para o diálogo, embora isto seja difícil, pois eles estão fechados em suas igrejas.  Retirei do Vermelho

19 de Julho de 2012 - 12h25

Evangélicos fazem ofensiva contra terreiro em Olinda


Centenas de evangélicos com faixas e gritando palavras de ordem realizaram um protesto no último domingo (15), em frente a um terreiro de matriz africana e afro-brasileira em Olinda, Pernambuco. As imagens da manifestação, que circularam nas redes sociais esta semana, provocaram a revolta de milhares de internautas. Nesta quarta (18), um encontro discutiu estratégias para coibir e por fim às práticas de intolerância religiosa.


As imagens foram captadas pelo filósofo e babalorixá Érico Lustosa, vizinho do terreiro alvo dos ataques. Segundo ele, por pouco os evangélicos não invadiram o espaço. “Eles gritavam ‘Sai daí, satanás’ e forçaram o portão. Foi aí que me coloquei em frente ao portão e meu filho começou a gravar. Um deles gritou para a gente tomar cuidado, que ele era evangélico mas era também um ex-matador”, relembrou.

O fato ocorreu uma semana depois que pessoas invadiram terreiros em Brejo da Madre de Deus, no Agreste, após o assassinato de uma criança, segundo a polícia, a mando de um pai de santo. Pesquisadores e representantes de terreiros, no entanto, atestam que essas religiões não realizam sacrifício de humanos.

Durante a reunião de ontem entre praticantes de religiões de matrizes africanas e afro-brasileiras e representantes da Secretaria de Desenvolviento Social e Direitos Humanos (SDSDH) foram anunciados os lançamentos de duas cartilhas, que serão distribuídas à população, para tentar acabar com o preconceito existente contra essas religiões.

O Comitê Estadual de Promoção da Igualdade Étnica-Racial (CEPIR) irá distribuir em escolas e em grandes eventos, a começar no Festival de Inverno de Garanhuns, a cartilha Diversidade Religiosa e Direitos Humanos. A Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Pernambuco, também anunciou a produção e distribuição de uma cartilha nos mesmos moldes.

No encontro também foi assinada, por todos os participantes, uma carta de repúdio aos ataques contra os terreiros ocorridos em Brejo da Madre de Deus e em Olinda. "Mais do que uma cartilha, é preciso interromper o que vem ocorrendo com os terreiros de matrizes africanas. O direito à cidadania pertence à todos", afirmou Edson Axé, um dos babalorixás presentes na reunião.

O vídeo que registra a manifestação teve milhares de compartilhamentos no Facebook e cerca de 70 mil visualizações no YouTube. O terreiro alvo dos ataques é o de Pai Jairo de Iemanjá Sabá, na Rua Manuel Souza Lopes.

Vizinhos repudiaram o protesto. “Moro aqui desde criança e o pessoal do terreiro nunca trouxe problema. Sou católica, mas respeito as outras religiões. O que fizeram foi um absurdo. Por pouco não invadiram o espaço”, disse a dona de casa Cintia Gomes, 25 anos.

Veja abaixo o védeo gravado pelo babalorixá: