domingo, 24 de junho de 2012

Aceitação do crime organizado deixa PM vulnerável em Sampa

A política de segurança dos tucanos no Estado de São Paulo foi sempre a de evitar o confronto com o crime organizado, do tipo, "eu deixo você traficar e você me deixa em paz".
No Rio de Janeiro de Cabral e Paes, os órgãos de segurança foram para o confronto e estão estabelecendo zonas livres, também chamadas de "pacificadas".
O crime organizado em sampa hoje têm grandes negócios em várias áreas, como a de transportes coletivos, e vai se ingerindo em outros setores.
De vez em quando a polícia mata um traficante do PCC e não dá outra, os policiais vão sendo mortos às pencas, numa demonstração da fragilidade da segurança tucana.
Em contrapartida, devido ao fato de qualquer policial que matar um bandido ser preso, e ir para julgamento, pela justiça, como se também fosse um bandido, estão voltando os chamados Esquadrões da Morte, tão comuns antigamente. Era previsível.
Geraldo Alckmin e Serra são os responsáveis por esta desordem na segurança. Eles que fizeram vistas grossas e fingiram, ocultando da população, de que tudo estava e está bem.
Vã ilusão.
O povo paulista está à mercê dos bandidos de toda ordem.
Melhor para o Datena, sequioso por tragédias, que lhe valem grande Ibope televisivo.