sexta-feira, 4 de maio de 2012

ONDA POLAR

Vem das extremidades da vida
onde o mal se nutre
sob o controle do Espírito
reunindo forças
para espalhar
a frigidez
nos corações.

No mais
reina a paz
No dia
a alegria
No calor
o amor.

Mas nunca se desvencilha.

Uma arquivo morto
assombra a alma
rediviva

Um espinho de satã
relembra o pecado
vencido,
adormecido.
 

Formas múltiplas
de convites
em gélidas ondas
teimam em esfriar
 a santidade
resgatada.

A alma perpassa
a todo instante
uma batalha inútil
de um mal
que insiste,
derrotado,
sobre uma santidade
progressiva, insatisfeita
com a imperfeição.

O Criador, entretanto,
a tudo permite,
para o progresso do Homem,
pois sem desafio
definha a obra
desfalece a alma.

O Homem
vive do contraditório
em sua busca de unidade
num devir eterno,
rios sempre navegáveis.

Descobre-se sempre
com oração e  solidariedade.
perde-se, vez por outra,
na desistência e enfraquecimento da fé.

Onda fria constante,
exige uma segunda compreenção
para ressaltar a verdade escondida
por trás dos acontecimentos,
convidando-nos a superar
os valores do mundo.