sexta-feira, 18 de maio de 2012

Te Recuerdo Amanda - Víctor Jara. Família pede esclarecimentos sobre morte de Victor Jara





O advogado da família de Victor Jara solicitou ao Exército para colaborar com o esclarecimento da morte do cantor e compositor chileno, depois que uma reportagem na televisão revelou a identidade do suposto executor do crime.




“Levamos 38 anos esperando que o Exército entregue os antecedentes do caso e não o fizeram. “ É vergonhoso que não tenhamos nenhuma colaboração desta instituição e não apresentaram nenhum nome ao processo”, afirmou o advogado Nelson Caucoto, citado pela Rádio Universidad de Chile.

O programa “Em La mira”, do Chilevisión indicou como autor do assassinato, o ex- tenente Pedro Pablo Barrientos Núñez, que vive desde 1990 na Flórida, Estados Unidos, revelou o ex-recruta do Exército José Paredes, que assegurou que Barrientos “disparou quase a queima roupa, porque Victor não respondia, acho que com isso ficou louco e atirou nele, disse.

Paredes acrescentou que no momento do homicídio havia outros ex-funcionários com Barrientos, responsáveis pelas torturas e pelas numerosas feridas de balas que sofreu o artista.

A televisão chilena tornou público que, há duas semanas, o departamento de investigações dos Estados Unidos ouviram declarações do acusado que negou sua participação no brutal assassinato. “Não tenho que enfrentar a justiça, porque eu não matei ninguém; fui várias vezes no Chile, mas agora não vou ir”, alegou Barrientos.

Investigação

Após a transmissão do programa a diretora da Fundação Victor Jara, Gloria König disse que o ex- militar deve se apresentar para fazer declarações para a Justiça. “ Não há ninguém em nosso país que possa dizer que não tem que vir falar com a Justica” enfatizou.

A respeito da investigação judicial, König lamentou a constante mudança de juízes o caso teve. “Victor completaria  80 anos. A metade de sua vida entregou a este país beleza, poesia, música e a outra metade está na mais absoluta impunidade”, criticou.

Disse também que a investigação deve indicar quem deu a ordem de assassinar o cantor.“Está a responsabilidade histórica que a Justiça chilena tem de abrir as linhas de investigação que permitam chegar a verdade, que tem sido escondida por tantos anos”

Ditadura

O autor de peças antológicas do cancioneiro latino-americano como “Te recuerdo Amanda” e "Plegaria del Labrador" foi preso na Universidad Técnica do Estado no dia 12 de setembro de 1973, um dia após o golpe militar contra o presidente Salvador Allende (1970-1973), e levado até o Estádio Nacional, convertido no centro de torturas e crimes da ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990).

Victor Jara foi encontrado quatro dias depois de sua prisão num caminho rural de Santiago com 33 balas e 53 lesões no corpo. Segundo a autópsia oficial, o tiro que o matou foi na cabeça.

Prensa Latina