sábado, 18 de janeiro de 2014

A Encarnação de Deus: Você acredita? Sabe, de fato, porque ela aconteceu?




Meus amigos deste blogue, eu sei que vocês têm uma diversidade imensa de espiritualidades ou de agnosticismos, ou ateísmos, isto não importa, porque somos assim mesmo.

Peço, no entanto, de antemão, que me desculpem se saio um pouco fora de seus hábitos e costumes, para colocar uma questão que considero fundamental para a compreensão do Deus que não se compreende.

 Deixe-me explicar: Deus jamais será compreendido por qualquer humano, exceção feita a Jesus Cristo, porque, até por um princípio filosófico, a criatura não contém o Criador.

Muito, ao contrário, o Criador é que conhece completamente a criatura, mais do que a própria criatura conhece de si mesma.

Mas, enfim, porquê Deus encarnou-se?

Não valem respostas decoradas, do tipo "para nos salvar", ou "porque ninguém aceitou os profetas antes", ou "porque nos ama", ou coisa do gênero.

Todas estão certas, mas não aprofundam

Porquê?

Esta é uma questão que me segue pela vida, eu um simples cristão católico, de missas de domingo.

Penso que os cristãos em geral também têm esta questão sempre em seu íntimo.

Porquê Deus deixou a sua divindade e encarnou-se, como um de nós, sem deixar a sua divindade, porém agora também humano?

Há ainda uma outra questão, anterior:

Deus tem o poder de encarnar-se, caso deseje?

Bem sabemos que sim.

Levanto esta questão prévia porque alguns dizem que a encarnação é um rebaixamento de Deus.

Isto Ele jamais faria.

Aí estão os Espíritas, os Judeus, os Testemunhas de Jeová, e outros.

Não admitem Deus empregando todos os esforços necessários para mostrar ao homem e a mulher o caminho da felicidade eterna.

Cada um, com sua explicação, acha que Deus é tão superior que não necessita desta atitude, porque não dizer, extrema.

Afinal, Deus suscitou e enviou profetas.

Muitos foram mortos nesta missão, mas não abdicaram dela.

Porque não paramos por aqui?

A resposta que temos é: não foi suficiente.

Nenhum dos profetas chegou propor a Verdade completa e a vida em sua inteireza, .

Era preciso que Deus se tornasse homem para que a verdade pudesse, enfim ser, completamente proclamada.

Para isto, em outras palavras, era necessário a "humanização de Deus".

Desculpem esta afirmação tão forte que também me incomoda em dizê-la

Caso não se encarnasse estaríamos ainda à míngua, entendendo os mistérios às apalpadelas, como um cego.

Como ponto alto da criação, Deus precisou vir, Ele mesmo, até nós, para que entendêssemos o sentido mais profundo da condição humana, onde está alojado o amor divino em nós, o perdão, a paz verdadeira, a justiça, a sabedoria, e todas inúmeras virtudes teologais.

A criação somente se tornaria completa quando Deus viesse, Ele mesmo, terminá-la, ou recriá-la, já com um pé na eternidade, estabelecendo a ponte, inexistente antes.

E Jesus Cristo, que não era Verdadeiro Homem, mas completamente Verdadeiro Deus, incorporou a nossa humanidade, para à partir dela mostrar-nos as incongruências, as falsidades, as injustiças, o desamor, que tanto nos acompanham pela vida.

Assim, tornou-se Verdadeiro Deus e Verdadeiro Homem.

Esta é uma notícia nova, de 2014 anos aproximadamente.

Não houve notícia maior, nem antes, nem depois, pois a encarnação de Deus é maior até que a própria criação do mundo,  do homem e a mulher.

Este mistério é tão grande que fez o Nosso Senhor ascender aos Céus em seu próprio corpo, carregando também a nossa humanidade para o céu, abrindo uma porta para a nossa humanidade no céu.

Não me perguntem como é isto, porque não sei.

O que sei é que Ele levou a nossa humanidade para o Céu.

O Jesus Cristo de antes da encarnação é o mesmo do ressuscitado, acrescido agora, de nossa humanidade

Com isto temos novas moradas nos Céus.

Ao encarnar-se Jesus Cristo da o maior exemplo do que deva ser a base da justiça.

Em suas primeiras palavras, no primeiro evangelho,  de maneira incompreensível para muitos, pois parece fora de contexto, Jesus ao responder a João Batista (que achava que ele é que deveria ser batizado por Jesus) quando ia ser batizado,  diz, que era "importante que se cumprisse a justiça completa".

O que significa a Justiça completa, se ainda hoje os homens erigem um monumento à justiça como uma mulher cega e uma balança nas mãos?

Significa que a justiça verdadeira agora chegou, e é possível de ser vista.

Sua característica está em Deus abrir mão da sua divindade e encarnar-se como um de nós.

Ao deixar-se batizar, nos convida também a deixarmos de lado nossas falsas virtudes, e nos fazermos de menor, como Ele é, embora Todo Poderoso.

Não fosse assim, como poderia perdoar-nos de nossos pecados?

Estaríamos nas mãos de um deus perseguidor.

Bem, fico por aqui.

Creio que deixei um bocado de interrogações.

Fiquem na paz de Deus e de nosso Senhor Jesus Cristo!

Que a ação do Espírito Santo preencha todos os nossos vazios!