quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Tadinhas das crianças que tomaram do lote contaminado do Toddynho



foto

"Pode conter soda cáustica", diz Wladmir Maganhoto, Diretor da unidade de negócios Toddynho PepsiCo., ao referir-se a um "pequeno lote" que utilizou detergentes de limpeza de lavagem dos tanques que processam o famoso Toddynho.

Não ficamos sabendo de quanto em quanto tempo estes tanques são limpos, nem como é feita a limpeza da limpeza, isto é, como se retiram totalmente os detergentes, para se recolocar o achocolatado Toddynho.

Neste momento, cabe ao Ministério público exigir uma investigação sobre o processamento do produto, que é vendido para consumo das crianças.

Considerar o lote pequeno é no mínimo pensar que o povo brasileiro seja ignorante, pois os tanques processam 20 mil litros do produto.

Você sabe quantos Toddynhos podem ser feitos com um litro?

Por baixo, posso imaginar uns 5 Toddynhos (me irrita este y no lugar do i), o que se multiplicará em 100 mil Toddynhos.

Isto é um pequeno lote?

Ele diz que os funcionários perceberam o problema 4 minutos depois da  lavagem dos tanques, quando viram as embalagens saindo quentes da esteira e interromperam o funcionamento da máquina.

Esta descrição do senhor Wladimir é importante, e permite fazermos algumas reflexões:

1) Embalagens saindo quentes da esteira, supõe que o produto percorreu toda a linha de produção, desde que foi misturado com os detergentes nos tanques, tendo sido detectado o problema, ao final,  através de inspeção humana, e não técnológica, o que pode significar que a empresa não faz a devida inspeção do produto que sai dos tanques.

2) Os colaboradores sentirem as embalagens quentes, significa que a limpeza com detergentes se faz em altas temperaturas, ou ao menos, com temperaturas maiores que as do processamento do achocolatado, a ponto de se perceber, através do tato, que existe uma diferença, algum problema.

3) A forma como o problema foi descoberto mostra que não há uma efetiva preocupação com a qualidade do produto, e por extensão, com programas de qualidade, como qualidade Total, ou Programas ISO.

É primário dizer isto, mas é conhecido há pelo menos uns 60 anos, através de grandes mestres da qualidade como Juran e Deming, que a inspeção é um componente obrigatório num processo de produção, e unido ao processo de produção.

O pior é que é um produto consumido principalmente por crianças, que tiveram por consequência queimaduras na boca.

Existe, neste caso, um problema de ética profissional?

 Sim, porque incompetência houve, e deve ser analisada, mas permanecer na incompetência é falta de ética
Como pôde haver tamanha falta de controle do processo de produção a este nível, de deixar-se misturar detergentes de limpeza com o produto em processo ?

Posso supor que tenha acontecido outras vezes? Porque não?

Em termos éticos, é inadmissível que, uma vez detectado que houve um problema no dia 23 de agosto, tenham dado continuidade e jogado o produto no mercado.

Era para ter suspenso tudo, e recolhido os produtos todos, testado todos os lotes antes e depois do problema. Fazer uma retirada total de lotes de Toddynho do mercado.

Só que uma atitude destas proporções poderia por em risco a imagem do produto, pois daria a conhecer o problema ao público. Então melhor deixar correr, quem sabe não traria consequências maiores...
Trata-se de uma ganância para não se perder produto, nem que leve ao prejuízo da saúde das crianças.

São 29 reclamações oficiais. Garganta de criança, por acaso, é esgoto?

REVOLTANTE.

Profissionais mequetreques e incompetentes..os gestores, é claro.

Os nossos agradecimentos aos funcionários que detectaram o problema antes que assumisse proporções maiores. Estes, que como nós, estão também nas mãos deles. Se fazem assim com este produto, o que não farão com os seus funcionários?