terça-feira, 23 de agosto de 2011

Império trasforma rebeldes líbios em contrarrevolucionários

Quem está ganhando está guerra na Líbia, os "rebeldes", ou a OTAN?

Quem garante que a Líbia encontrará a paz, com a derrota de Kadafi? 

 O que assistimos hoje é a destruição de um país, pela sêde de poder dos EUA e Europa, por tomar posse dos poços de petróleo, depois de décadas de badalação de um líder excêntrico e tresloucado.

Kadafi tornou-se inicialmente um libertador, retirando a Líbia de um reinado, e adentrando no século XX, republicano. Com o tempo tornou-se um ditador, como outros que lá estão, oriundos do nasserismo, quando podia tornar a Líbia uma verdadeira representação dos diversos grupos etnicos lá existentes, inovando uma democracia árabe.

Pode-se afirmar, sem sombra de dúvida que a Líbia tornar-se-á um país semelhante ao Iraque, cheo de bombas explodindo diariamente, e com um governo de fachada reconhecido internacionalmente.

A onda jovem provavelmente desembocará em um fundamentalismo islamita, em vez de novas democracias, e a médio e longo prazos, levam-nos a concluir sobre grandes conflitos na região, com Israel.

Recado do Império para o resto do mundo, de que está vivo e intervém aonde e quando quer, independentemente da ONU ou outro organismo internacional.

É o Império Evangélico destruindo o Oriente Médio.