sábado, 19 de março de 2011

Dilma saiu-se bem neste encontro com Obama

Dilma tem combinado naturalidade e firmeza em suas relações, seja para o bem, seja para o mal, como no caso do mínimo, que foi o máximo,mas deixa para lá.

Agora ela tem amplo conhecimento sobre a situação geral do país, mas não consegue ter as rédeas nas mãos, como é o caso do problema cambial, que vem há muito tempo provocando verdadeira sangria nas reservas brasileiras, isto sem falar na imensa dificuldade para a exportação dos nossos produtos industrializados, prejudicando empresas, vale dizer empresários e trabalhadores.

Mesmo as comodities tem dificuldades para entrar nos EUA com preços competitivos, devidos a longa politica protecionista americana.

Parece entretanto, que há uma luz no horizonte.

O risco de um maior estreitamento das relações entre os dois países, por outro lado, traz uma certa obrigatoriedade de alinhamento político em questões onde Brasil e EUA tem visões diferentes.

Vejo a diplomacia brasileira se esforçando por ser mais adesiva, ainda que sem
muita convicção, afinal, o governo tem compromissos populares, e acaba ficando com uma certa saia curta neste imbrólio todo.

Para encerrar, gostei do xale que Dilma usou, mas o fato dela sair logo bebendo enquanto andava, por trás de Obama, enquanto ele ainda brindava com todos, ficou um pouco deselegante.

Mas, de repente, vira moda.