segunda-feira, 21 de março de 2011

Estrago já está feito na Líbia

É muito simples.

Qual será a legitimidade da oposição na Líbia, caso chegue ao poder?

Deixará de ser vista como um futuro governo imposto pelo ocidente, uma vez que não alcançou o poder por suas próprias forças?

Conseguirá estabelecer uma paz duradoura, ou assistiremos caso semelhante ao Iraque, onde os sunitas, que se sentem excluídos explodem tudo o que encontram pela frente?

Há unanimidade na nação Líbia neste momento? Certamente que não.

Então a intervenção armada na Líbia contemplou os civis apenas de um lado.

E o mais importante, esta intervenção facilitará a implantação de uma democracia na Líbia, ou assistiremos uma longa guerra de poisções?

Como se vê as alternativas não caminham para o estabelecimento de um governo de unidade nacional, mantendo seu processo de desenvolvimento, pois a Líbia tinha um desenvolvimento, contrariamente aos outros países da região.

À partir de agora há um país dividido ao meio, talvez o ideal para o ocidente, deixando refém a nação para controles ainda maiores do império e a Europa.

A propósito, os conflitos estão cada vez mais próximos.

E a continuar com esta política belicista e acabarão podem ser contemplados  com presentes semelhantes, pois provocam contra si todo o ódio árabe não sem motivo.