quarta-feira, 2 de março de 2011

A sociedade brasileira está mais neurótica e descontrolada



É um funcionário de banco que atropelou como em um jogo de boliche vários ciclistas. Alguém acostumado a tratar mal clientes, e de ter um desgosto pessoal em atender.

Não levou em conta se estava transgredindo, ou machucando alguém.

Mas fez, e fugiu.

Como é bancário, não pode sair da cidade, sair de cena, afinal precisa marcar o ponto.

Como saída, buscou internar-se em uma clínica psiquiátrica, para quem está estressado, na tentativa de demonstrar que estava fora de seu controle.


Acabou preso hoje, mas já sem o flagrante delito. Paciência.

A nota estranha foi o depoimento do motorista que estava atrás dele, que corroborou com seu depoimento, que afirmara estar sendo ameaçado pelos ciclistas, e que estes estavam propositalmente bloqueando a avenida e provocando os motoristas de autos.

Caso seja verdadeiro, o seu crime não será considerado não um desequilíbrio mental, mas uma legítima defesa dele e de seu filho que estava no carro.

De qualquer forma isto mostra o quão neurótica ficou a sociedade brasileira, prestes a explodir.

Às vezes olhamos certos tipos de crimes nos EUA e não entendemos o grau de violência e de loucura sinistra de quem comete assassinatos em escolas ou ruas, acompanhados de suicídios. Coisas bárbaras.

Pois bem, vejo que adentramos nesse seleto clube da violência descontrolada e pós industrial.

Agora podemos também nos orgulhar de assistirmos crimes os mais violentos possíveis.

Hoje, no Rio de Janeiro, uma menina de 6 anos foi encontrada morta em um Hotel, enforcada com o barbante de seu sapatinho, depois de sequestrada.

Ela fora retirada de sua cama, de dentro de sua casa.

Dizem que quem matou foi a ex-amante do pai.

Como é?

Uma menina inocente paga pelos erros do pai e da ex?

A bruxa está à solta no país...

Os valores estão escapando pelo vão dos dedos.