sexta-feira, 29 de julho de 2011

Mídia omite nome de Netinho de Paula para concorrer à Prefeitura de SP


 


Primeiro a mídia assustou-se quando houve a possibilidade concreta de um negão, ainda mais comunista, ser eleito senador pelo estado mais rico da nação.

Tratou logo de desgastá-lo como homófobo, por ter batido em sua ex-esposa.  Até o PSTU, braço esquerdista da direita, utilizou-se deste expediente, durante a campanha para o senado.

Caso mais que requentado, pois ele já havia se reconciliado, e até mesmo a autora da Lei Maria da Penha, se somou em reconhecimento ao cantor, quanto ao seu arrependimento e mudança.

Mas a mídia ficará eternamente agredindo a ex de Netinho, só para desgastá-lo junto à opinião pública, como se ele continuasse a ser violento.

Assim fica mais fácil retirar a imagem que ele deixou de um filho do povo, um sef made man que precisou "se virar" desde a infância para sobreviver.

Depois tornaram uma prestação de serviços na Câmara Municipal, como um desvio de verbas, que não houve. O caso foi arquivado, mas a mídia fará o Netinho desviar verbas eternamente, mesmo que não ocorra.

Quando o negão foi derrotado na eleição para o Senado, houve um alívio em quase todos os midiáticos.

Marta até acusou internamente o PT por ter dado tanta divulgação a ele, elegendo-a de raspão, na última hora.

Quando o PT percebeu que a direita elegeria o seu candidato covarde, que acusava  Netinho sem dizer o seu nome, tratou de descolar nos últimos dias a sua candidata "de esquerda".

Mas 7 milhões de votos não se joga no lixo, como bem desejava a mídia.

O fundão da cidade de São Paulo havia feito sua escolha por Netinho, não a classe média, toda elitista e preconceituosa, mas a juventude da periferia, os pobres, os esquecidos, que viram nele o seu projeto de realização, assim como viram em Lula, nas eleições presidenciais.

Agora aproximando-se os arranjos para o lançamento dos candidatos para a Prefeitura de São Paulo, novamente o nome de Netinho foi colocado no Limbo político.

Falam do Chalita, de Serra, Fernandp Haddad, e um sem número de candidatos, mas parece que Netinho nem é candidato. Sequer é relacionado nas reportagens que abordam o assunto.

Bom sinal e mal sinal.

Bom, porque é sinal de mêdo. Sabem que ele pode até não eleger-se, mas certamente será bem votado. E pode eleger-se também, porque a política é a arte do possível. De qualquer forma a eleição do futuro prefeito de Sampa passará por algum acordo com o negão.

Mal sinal porque sabemos que virá chumbo grosso, com o uso de todos os tipos de expediente. Para isso, o candidato deve preparar-se, pois a política é feita de pessoas resistentes e abnegadas.

Boa sorte ao Netinho de Paula nesta empreitada