quinta-feira, 14 de julho de 2011

Pergunta estúpida




Se perguntarem

Quem sobrou?

Direi radiante

Aqui estou!



Pré histórico

Jurássico



Porque, o que resta,

Vale ser referido?

O destruído,

Justificado?



Tudo são

Construções sobre construções

Sedimentadas

Secularmente

Em esquecimentos históricos,

Arqueológicos.



O agora é superfície

Sobre um soterramento.



Qual objeto restará

Deste afã civilizatório?



Nem os esgotos sobrarão

Para algum DNA imprestável.



As teorias vão no ralo do tempo.



Os ideais morrem

com os novos ideais,

possíveis,

reais.



Tenho um suspiro

Eterno

Por algo

Novo

Que não vem,

Misturado

A uma pálpebra caída

Ao meio

Em esconder-me de mim.