sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Movimento social no Oriente Médio questiona ditaduras nasseristas

Nada como o tempo para desmontar falsos edifícios.

Os vários governos de "esquerda" que se impuseram pela força à partir dos anos 50 em todo o Oriente Médio esgotaram-se.

Foram governos de características totalitárias e paternalistas, muito assemelhados aos diversos reinos existentes na região, onde uma réstia de feudalismo, subsiste no sistema político
Não produziram as mudanças em seu tempo, nem perceberam as mudanças que foram ocorrendo na região ao longo de décadas.

Acostumados ao poder ilimitado e ao paternalismo político, usufruiam a si e a seus grupos de apoio, enquanto crescia uma multidão de excluídos do sistema produtivo.

A internet teve o mérito de por "on line" todos os segmentos discriminados por todos os países da região.

As características das revoltas tem peculiaridades próprias: uns aqui, são Xiítas discriminados, outros lá são de todas as origens.

O fato é que há um modelo condenado pelo desgaste e pela inércia.

Alguns bons discursos não sustentam regimes.

É preciso transformação. alguns países usam de pressão popular para se contrapor à tendência crescente de insurreição popular.

Que isto sirva de lição para o Governo Dilma, que pode achar que este fenômeno é exterior ao Brasil, mas tenho que refutar este argumento, lembrando que a intencionalidades dos governantes de lá era, no início,  lutar pelos interesses dos seus povos, só que foram fugindo paulatinamente destes objetivos, e foram acostumando-se com a vida faustosa, e deu no que deu.

Acorda Dilma!!