quarta-feira, 9 de março de 2011

Como anda a Dutra e a Carvalho Pinto no feriado

Passamos o carnaval em Ubatuba, ou melhor, Ubachuva. A cidade parecia estar vazia devido a quantidade de chuva que caiu.

Ao voltar, no entanto, a genta se dá conta de quantas pessoas desceram a serra para o litoral norte de São Paulo.

Sempre gostei de parar no Frango Assado para comer uns espetinhos de frango.

Ocorre que agora o Frango Assado é Chick do úrtimo, e faz espetinhos menores, requentados, e duros. Se você está com a ponte meio solta tome cuidado e peça outra coisa.

Se quiserem comer bem e a um preço acessível, passem no Fazendão, na rodovia Tamoios, de  São José para Caraguatatuba. O croquete de carne deles é de rolar no chão, e o espetinho é 10, pondo no chão o do Frango Assado.

Em Ubatuba, não se pode passar por lá, e não ir tomar um sorvete no Rocha e comprar umas bananadas com cobertura e chocolate, no Tachão.

No Tachão a qualidade é dez e o atendimento 5. Segundo a gerente, é um problema cultural, isto é o pessoal de atendimento de lá, é de mal humor, por formação ou aprendizado.

Vai entender.

Aproveitei para estudar um pouco hebraico, e a "Dei Verbum", sobre a Revelação de Deus. Muito bom.

Acreditem se quiserem, fui um dia, eu, e Meg, de guarda-chuvas na praia, pois chovia fino. Por teimosia.

A Dutra é intransitável, desde quando se procura entrar nela.

Ficou uma rodovia dos caminhões. Então, pagamos um pouco mais e pegamos a Carvalho Pinto e Trabalhadores. As estradasestão congestionadas de veículos, mas andando. Só paramos na marginal Tietê, devido ao excesso de carros e caminhões.

Já estou com saudade do silêncio de Ubatuba.

A vida é assim mesmo.