segunda-feira, 28 de outubro de 2013

28/10/2013 manhã relativamente fria e com ventos

Quando morava no Maranhão e trabalhava na Alumar, no horário do almoço encontrava, vez por outra, com um peão "da porra", um cidadão simples e de poucas palavras, daquele tipo que desperta somente quando vem um assunto de seu interesse.

Não me lembro como se chamava, não era uma amizade marcante, nem sou uma pessoa de boa memória para nomes.

O dado interessante é que ele vazia predições sobre a vida das pessoas como um todo, com base nas imagens que tirava do céu.

Bastava olhar o céu e começava a dizer isto ou aquilo.

Isto tudo,  sem contar que usava um óculos escuro, de espessura considerável, o que dava impressão de que ele não enxergava direito.

Pegando carona neste personagem que a memória faz acompanhar-me até hoje, posso dizer sobre o tempo de hoje:

Hoje as pessoas estarão mais às pressas em seus afazeres, entre preocupações com seus problemas com dívidas, e expectativas de novos negócios.

Poucos amores serão declarados, pela falta de tempo, pelo excesso no fim de semana.

As alegrias serão poucas também.

Os falsos não conseguirão disfarçar sua falsidade, e os ladrões deixarão para amanhã o roubo.

O motor da vida estará na ignição, e o sentido das coisas sequer será meditado.

Assim será o dia de hoje