terça-feira, 22 de outubro de 2013

Sonambulismo da inadequação

Quero beber de tua verdade ingênua
antes que te cortem em experiência.
do frescor da ausência de pressentimentos
da descoberta de coisas e fatos
como se houvesse vencido na filosofia.

Lambuzar-me de tanto beber...
não mais que te usurpe o puro
te perca a alma
não mais que suje
enquanto sugue.

No confronto das regras e dos desejos
está este delicioso mel
sonambulismo da inadequação.

(poema "Sonambulismo da Inadequação" do livro Banidos e Profanos)