quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Chovem lágrimas




Como é possível 
haver tanta 
falsidade
na criatura
que Deus
declarou
ser  seu
semelhante?

Como podem
fazer mal
aos seus
irmãos?

Às escondidas
tramam
contra 
os inocentes.

Manipulam
fingem
demitem
jogam
com 
a vida
das 
pessoas.

Tenho lágrimas
guardadas
antigas
fatigadas
inconfidentes
surdas e mudas.

Aguardam
o silêncio
de Deus
terminar
e a justiça
abater-se
no mundo.

Porque
tudo fazem
como
se Deus
estivesse
ausente.

Não se represa
um sofrimento
eternamente.



Não se persegue
até parecer
que tudo
acaba.

Não se domina
incólume

Minha
esperança
está
na vida.

Ela
sempre
brota
nova,
apagando
os rastros
da destruição.

A vida
renova
tudo.