quarta-feira, 2 de março de 2011

A língua dos sociólogos e São Tiago

São Tiago, em sua epístola, diz que a língua embora pequena, consegue dirigir todo o corpo de uma pessoa, como o leme, que é pequeno, mas conduz a direção de um navio inteiro.

Assim, o nosso valoroso sociólogo Emir Sader, em entrevista perigosa para jornalista da Folha, ocorrida de maneira despretenciosa, foi pinçado o termo "altista", utilizado para caracterizar certo atraso nas decisões da Ministra Ana de Holanda, acabou impedindo-o de ser nomeado a um cargo no Ministério da Cultura.

Ontem, outro sociólogo, Túlio kahn, Chefe de setor de Análise e Planejamento da Secretaria de Segurança do Estado de São Paulo, conseguiu falar de uma atividade paralela que fazia, como consultor, a outro jornalista,  utilizando as informações sigilosas em benefício pessoal. Foi destituído do cargo, diretamente pelo Governador.

Se for lembrar-me do ex-presidente Fernando Henrique, inúmeras foram as vezes em que ele disse um fato, e depois desdisse o que disse.

Porque a riqueza do vocabulário que possui é tão vasto, que realmente dá a impressão de estar falando várias coisas ao mesmo tempo.

Que confusão!

Será que o sociólogo, como eu, não possui o perfil meio desconfortável de ser tagarela, de falar muito e pensar pouco?

Ou de falar e pensar muito, e ser pouco comedido nas palavras, tergiversando e tergiversando, até tudo ficar meio embaralhado?


Vou dormir com isto, meditando em silêncio à noite, para não ficar falando demais

É bem possível, sim...

Êta povo falador!!