sábado, 5 de março de 2011

Sempre Ubatuba, apesar da chuva

Ubatuba é a cidade litorânea mais charmosa do litoral norte paulista.

Por ser plana, a cidade permite que se faça de tudo utilizandoa bike, ou andando mesmo.

Carro é para ficar guardado.

Ocorre que Ubatuba tem o índice pluviométrico amazônico, não é incrível?

Por isso, ao vir para estas bandas, não se deve ter preconceito em andar na chuva, coisa aqui muito natural.

Cheguei na quinta, e no mesmo dia fui à Matriz, que por sinal fica na praça principal da cidade, e que se chama Exaltação da Santa Cruz.

Pensava em participar da Santa Missa, mas soube que aquela noite haveria adoração ao Santíssimo.

Fiquei, e foi muito bom.

O Estado de São Paulo tem passado por uma chuva permanente.

O lado bom é que é de baixa intensidade.

Encontrei na Igreja um Ministro da Comunhão, que tem uma filha que foi curada, anos atrás, de Lupus, através de tratamento e muita oração.

E ficou curada.

Mas o processo desta cura foi doloroso, e nos deixamos de falar desde então.

Nesta quinta feira, no entanto, nos cumprimentamos com largos sorrisos, quando compreendi, que o passsado doloroso havia sido superado.

Tenho ouvido comentários aqui e ali, pró e contra Kadafi, na Líbia. quero primeiramente declarar que nenhum país tem autoridade para interferir na questão interna da Líbia.

Os EUA querem ser novamenbte os donos do mundo e tem ânsia por invadir a Líbia e transformá-la num novo Iraque, novo Afeganistão.

Não importa para o democrata Osama as atrocidades às famílias e as mortes aos milhares.

Importa dominar as fontes de petróleo em nome de sua "democracia" fajuta.

Mas Kadafi que se julga de esquerda, ou talvez um dia o tenha sido, tornou-se num auto idólatra, que deixou a História escapar de seus dedos, e junto foi a oportunidade de tornar o povo líbio um povo melhor, com saúde, educação, trabalho.

Porque estas insurreições não acontecem em Cuba? Muito simples.

Porque, apesar da pobreza existente no país, o seu povo vê os esforços feitos pelo governo e o apoia.

Senão o governo cubano teria caído há décadas.

Então é preciso diferenciar esquerda de "esquerda", e pensarmos bem antes de referendarmos aqueles que se utilizam do movimento popular, mas o traem no dia a dia, até o país ficar igual a qualquer republiqueta totalitária, com pobreza e todas as deficiências que condenamos.

Não estamos no tempo de escondermos debaixo do tapete os nossos erros. Isto ficou no passado.

O mundo de hoje está cada vez menor, com  as internet e as redes de relacionamento, onde os povos estão cada vez mais informados de tudo.

Tudo adquire mais visibilidade, mais os erros, como sempre.

Os acertos as pessoas entendem como obrigação, e por isso não tem a mesma importância