segunda-feira, 7 de março de 2011

Jesus teria sido corrupto em Ubatuba?

Estou passando o carnaval em Ubatuba.

Na verdade estou passando o feriado de carnaval por aqui.

Chove bastante, e se puder confidenciar um segredinho com vocês, digo que fui um dia à praia, de guarda chuva, eu e Meg, minha esposa.

Ela não suportaria vir para cá sem dar uma passadinha, por menor que fosse à praia.

O restante de nosso tempo foi destinado a andar por aí, à pé, logicamente, pois continuar dentro de um carro é manter a neurose paulistana, da qual estou fugindo.

Prefiro uma bicicleta ou andar. Ambas as formas são muito salutares para Ubachuva, uma cidade plana.

Bem, exatemente no dia em que estive na praia, a de Perequê-Açu, próxima à cidade, podendo-se chegar nela à pé, como fizemos, tão logo pusemos os pés na areia, assenhoreou-se no mar um imenso navio, um transatlântico daqueles imensos e lindo de se ver, pela sua grandiosidade.

Como o dia era de chuvisco e frio, observei que poucos barcos partiam daquele navio.

Ubatuba não tem porto para um navio deste quilate.

Vim a saber depois, que estes navios de turismo fazem uma parada na ilha grande, onde localizava-se um antigo presídio, isolado e de difícil fuga, hoje desativado.

Soube que houve uma só fuga, onde muitos presos teriam morrido, seja por picadas de cobras (na ilha tem muitas), seja por ataques de tubarões, porque a distância à nado da ilha ao continente é muito grande. Alguns alcançaram as praias, já desfalecidos, e foram reencaminhados de volta.

Mas, parece que o pier da Ilha Grande caiu, e estes navios de grande porte, acabaram escolhendo Ubatuba, como alternativa,  para uma parada de um dia, para não fugir muito se seus roteiros.

Enquanto observava da praia, praticamente vazia, o imenso navio, foi se achegando a mim um senhor com um tubo de sucção, uma espécie de bomba manual, do qual puxava alguns corruptos do fundo da areia.

Perguntei-lhe, se haviam muitos corruptos na praia.

Ele me disse que os pegava para fazer isca para pescar robalos, e que tinha sempre o cuidado de deixar os corruptos menores de volta à areia, pois era proibido pegar corrupto pequeno.

Explicou-me também que o nome corrutpto estava associado à profundidade como eles se escondem na areia, não deixando nenhuma pista que existem , senão um pequeno buraquinho, e por serem difíceis de se arrancar.

Demos algumas risadas de pena dos pobres bichinhos, por serem comparados com esta doença social, que atinge todo o tipo de pessoas, ricas e pobres, educadas e ignorantes, bem intencionadas e mal intencionadas, governantes e governados.

De volta para casa, percebemos que um imã de pirata que ficava na porta da geladeira havia caído e quebrado a sua cabeça. Meg insistiu que procurássemos nas lojas de artesanato outro pirata, para fazer o par, pois eram dois.

Batemos daqui e dali e nada. Tinha até uma loja de artesanato chamada "Pirata", mas que não tinha o tal imã.

Foi quando entramos em uma loja, já no Itaguá, e lá também não encontramos o tal pirata. Mas o atendimento da funcionária foi tão bom, que fomos ficando e, quando vimos, já tínhamos comprado umas galinhas de angola para parede, muito bonitas, uma família inteira.

Mas a conversa nesta loja foi muito interessante.

Dísse-nos a vendedora que o transatlântico negociou com a prefeitura a sua permanência na cidade, e que representantes da prefeitura ofertam a vinda dos turistas às suas lojas, desde que eles recebam uma "comissão".

Disse-me que até numa outra ocasião, tiveram que dar 10% de um total de R$300,00 de compras que fizeram.

Que atualmente eles não fazem mais isto, pois consideram uma roubalheira.

Lembrei-lhe de que o prefeito era evangélico.

Isto deixou a moça ainda mais revoltada.

Falou-me que qualquer pessoa que quisesse trabalhar na prefeitura, nos serviços gerais, era chamado "sutilmente" a entrar na Igreja deles, senão o emprego...gorava.  É mole?

E é o segundo mandato do prefeito.

Dizem que no primeiro mandato ele abusou tanto, que em uma certa ocasião teve que morar fora da cidade, porque estava na mira desde a federal até o povão.

Agora, com a barra mais limpa, estava fazendo algumas atividades, como shows, etc, mas que seu legado era triste.

E tudo em nome de Jesus, porque eles tem dito há muito tempo que Ubatuba precisava ser do Senhor Jesus, e isto só se daria com eles no poder.

Acontece que, com eles no poder a corrupção correu solta, não aquela dos pequenos corruptos pegos no fundo das areias das praias, mas aqueles peixões, que se locupletam no poder, utilizando o nome que está acima de todos os nomes.

Quem diria, usando da prefeitura para propagar sua seita, e denegrir o nome de Cristo.

Afinal Jesus foi crucificado, por ser considerado uma pessoa perigosa à sua época. Será que agora eles querem nos fazer crer que Ele era também corrupto?

Ah, o imã de pirata, nós substituímos por um imã de barco. Agora existe um pirata e o seu barco na porta de nossa geladeira.