quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Como para o induísmo a salvação vem com o nascimento de um varão, as meninas sofrem toda sorte de perseguição

A Igreja Católica faz campanha em defesa das meninas, criando o "Dia das Meninas", na festa da Natividade da Virgem Maria. Veja matéria do Zenit abaixo


Índia comemora “Dia das Meninas” para reafirmar seu valor



Campanha da Igreja para deixar que as meninas nasçam


PANAJI, quinta-feira, 8 de setembro de 2011 (ZENIT.org) – A Igreja em Goa lançou um convite a valorizar e afirmar as meninas no lar e na sociedade, por ocasião do “Dia das Meninas”, que se comemora hoje, festa da Natividade da Virgem Maria.


A Comissão Justiça e Paz destacou que “a Igreja na Índia dedica este dia de alegria a todas as meninas”, segundo um comunicado divulgado no site da Conferência Episcopal da Índia.


“Toda vida humana é um precioso presente de Deus e, portanto, fonte de dignidade humana”, explicou o secretário executivo da comissão, Pe. Maverick Fernandes. “Toda menina nascida e não-nascida compartilha igualmente estes direitos, começando pelo direito à vida”, acrescentou.


A seleção sexual leva à eliminação de muitas meninas na Índia, tanto não-nascidas (contabilizam-se 5 milhões de abortos seletivos de meninas nos últimos 20 anos) como recém-nascidas, e inclusive à mudança de sexo de recém-nascidas.


Para cada 100 meninas, nascem 112 meninos no país, segundo dados do livro Unnatural Selection Choosing Boys Over Girls, And the Consequences of a World Full of Men (“Seleção não-natural: escolher meninos ao invés de meninas, e as consequências de um mundo cheio de homens”). O Pe. Fernandes afirmou que as meninas em Goa, quando recebem a oportunidade, se destacam em vários âmbitos, especialmente na educação, nos esportes e nas diversas expressões artísticas.


“Enquanto são direitos seus o da nutrição, educação e outras oportunidades, frequentemente recaem sobre elas as responsabilidades do trabalho do lar e lhes são negadas facilidades de lazer”, lamentou o sacerdote.


A preferência pelo homem se deve a fatores sociais, econômicos e também religiosos. Continua sendo especialmente forte nas famílias de fé hinduísta, pela crença de que, para obter a salvação, é preciso ter um filho do sexo masculino.


O representante eclesial instou a que o dia de hoje represente uma oportunidade para uma reflexão profunda sobre os aspectos centrais da vida de cada menina.