sábado, 10 de setembro de 2011

Igreja desenvolverá cooperação social com Cuba

Vejam matéria que retirei do Zenit

IILA e Sant'Egidio assinam acordo para Cuba e América Latina



Ministro italiano: “É preciso ler com atenção a Cáritas in Veritate”


Sexta-feira, 9 de setembro de 2011 (ZENIT.org) – Um acordo entre o Instituto Ítalo-Latino-Americano (IILA) e Comunidade de Sant'Egidio foi assinado ontem, em Roma, e se destina à paz e à cooperação na América Latina e no Caribe.


O ato aconteceu na seda do IILA, ente governamental que reúne a Itália a 20 países da América latina, com a presença do seu secretário-geral, Giorgio Malfatti, e do presidente de Sant'Egidio,Marco Impagliazzo.


Como testemunhas de honra, estavam presentes o ministro de Relações Exteriores da Itália, Franco Frattini, e o secretário da Comissão Pontifícia para a América Latina, o uruguaio Guzmán Carriquiry Lecour, além de diversos embaixadores da região.


Em concreto, Sant'Egidio receberá 150 mil euros no lapso de 3 anos, destinados à criação de um trabalho de cooperação social em Cuba, onde a comunidade tem um espaço concedido pelo Estado no centro histórico de Havana, no qual desenvolve um programa para os pobres.


O ministro Frattini recordou a necessidade de globalizar a solidariedade e a importância da pessoa humana, tanto na economia como nas políticas de desenvolvimento e cooperação. Disse também que o Ministério de Exteriores da Itália “já fez e fará desta colaboração uma ocasião para reafirmar, através da Cooperação Italiana, alguns valores destinados a reforçar a pessoa humana”.


Contrariamente, disse, “corremos o risco de desviar as opções de política de Exterior, baseando-nos em um critério somente de interesse, respeitável mas não suficiente em um mundo no qual a crise financeira e os desafios globais estão diante de nós”.


Terminada a cerimônia, o ministro Frattini disse a ZENIT que “a Caritas in Veritate é um documento que muitos deveriam ler com atenção”. E acrescentou: “Eu acho que, em um mundo globalizado, se não existe um verdadeiro humanismo, acaba-se pensando que o mundo está baseado somente no PIB, quando na verdade está fundado em homens e mulheres”.


Afirmou que “é com isso que devemos nos preocupar”, pois, do contrário, corre-se o risco de que “a política exterior, assim como a política europeia, se tornem áridas e não cheguem ao coração das pessoas. Esta é a mensagem que aprendemos do Papa e não somente da encíclica”.


O presidente de Sant'Egidio deu uma entrevista a ZENIT, falando da importância do acordo e de como uma contribuição da Cooperação, de pouco mais de 4 mil euros mensais, podem dar frutos em um vasto trabalho social, graças ao empenho dos voluntários.