terça-feira, 13 de setembro de 2011

A vitória desta belíssima angolana, ressalta o racismo no Brasil

O Brasil com tantas mulheres lindas, oriundas das afro descendentes, orientais, européias, latinas, de sangue negro, branco e, amarelo, sendo que o vermelho as une, assistiu a belíssima angolana, em sua negritude, desbancar o plasticismo de tantas candidatas brancas.

Fora o interesse político que está por trás do concurso, em investir em uma nação emergente como Angola (A Àfrica e o Oriente Médio serão o BRIC do futuro, quando entrarmos num capitalismo decadente), fica evidente a falta de investimento em candidatas afrodescendentes, ou orientais, como modelos de beleza brasileira.

O padrão de beleza brasileiro ainda é a da branca de olho azul, fascista do úrtimo.

Este preconceito racial só cairá numa revolução, porque êta sociedade racista. Só não fazem piadas racistas hoje em dia, porque sabem que dá cadeia.

Sim, há um padrão racista no Brasil, retratado na candidata gaúcha, muito criticada, mas que fez bem o seu papel no concurso.