terça-feira, 13 de setembro de 2011

Lula e Dilma precisam ir aos EUA ensinar como se erradica a pobreza.

Ironia à parte, é inusitado ver como a decadência dos EUA progride rapidamente. A eleição de Obama sinalizou como uma preocupação da população por soluções, que parece ainda não veio. Retirei matéria do IG


Número de pobres nos EUA bate recorde de 46,2 milhões



Escritório do Censo afirmou que a taxa nacional de pobreza subiu pelo terceiro ano consecutivo e atinge 15,1% da população

O número de norte-americanos vivendo abaixo da linha de pobreza alcançou a cifra recorde de 46,2 milhões de pessoas em 2010, num momento em que a economia dos Estados Unidos tentava sair da recessão, informou o governo federal nesta terça-feira.

Num relatório que evidencia o enorme desafio econômico enfrentado pelo presidente dos EUA, Barack Obama, e o Congresso do país, o Escritório do Censo afirmou que a taxa nacional de pobreza subiu pelo terceiro ano consecutivo. O aumento foi de 0,8%, passando a 15,1% da população. Em 2009, eram 43,6 milhões vivendo na pobreza.

O relatório diz que o número de pobres no país é o maior desde que o órgão federal começou a publicar estimativas sobre a pobreza, há 52 anos. A taxa de empobrecimento é a maior desde 1993.

A renda das residências dos EUA caiu 2,3%, passando a US$ 49.445 por ano, e o número de norte-americanos sem plano de saúde está em torno de 50 milhões.

A deterioração da economia dos EUA mostrada nos indicadores do Censo provavelmente se agravou em 2011, já que o crescimento econômico diminuiu, o desemprego permaneceu estancado acima dos 9% e aumentou o receio de uma recessão maior.