quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Crimes e transgressões de todos os tipos, clamam por leis mais rígidas.

Abro o jornal e leio matéria da morte, por atropelamento, de 5 operários que estavam trabalhando na reforma da pista da Rodovia Anhanguera.

Na noite anterior, via mesma reportagem na TV, com os corpos dos operários sendo colocados no camburão do Serviço Funerário, acompanhados dos demais funcionários, que choravam copiosamente.

Atropelamentos e batidas envolvendo motoristas alcoolizados, corrupção nítida de deputada de Brasília, absolvida por seus pares, com o apoio de um sinistro voto secreto, na Câmara Federal; compra suspeita de terras em Minas Gerais, por multinacional (Vale), para explorar nosso subsolo, passando por cima de tudo e de todos.

O problema continua mundo afora, mostrando que não é uma característica exclusivamente brasileira, mas que faz parte de um tempo de impunidades e transgressões gerais no planeta.

Falar sobre a conscientização da preservação do meio ambiente passa a ser jocoso neste cenário.

Os desesperados, ao buscarem soluções nas igrejas, encontram seitas que os exploram através de milagres, do toma lá dá cá, onde o dízimo vai enriquecendo o milagreiro.

A Otan bombardeia a Líbia, mas fecha os olhos ao Iemen. É que um país é aliado e o outro não. Perverso.

Um Shopping da cidade encontra-se instalado sobre um antigo lixão, cheio de gás metano por baixo. Uma bomba prestes a explodir.

Quem pagará pelo investimento e emprego de tantas lojas e comerciários deste shopping, que já devem estar sofrendo pela queda da frequência, devido às notícias veiculadas pela mídia.

Ninguém é responsabilizado por isto, e se o é, a punição é extremamente fraca,  não impedindo a repetição do erro, não inibindo absolutamente nada.

Tempos difíceis, cheios de violência e morte.

Encontramos verdadeiros fascínoras, pessoas que fazem perversidade com a maior naturalidade.

Tempos de fanatismos fundamentalistas, e de desvios de formação, tornando as religiões co-patrocinadoras daquilo que elas combatem. E atingem as criancinhas, as mais inocentes.

Tempos de ampliação do conceito de família, onde se pode tudo, se aceita tudo.

As drogas de combatidas passam a ser defendidas.

O sexo liberado, sem formação, nem informação, engravida menina aos 13 anos, pondo a perder projetos educacionais e profissionais. Mas como é gostoso fazer. Não se pensa num sentimento sincero, no futuro, em nada.

Apenas se quer gozar o prazer de fazer sexo.

Falta família, formação familiar, valores. Não quero ser conservador neste discurso, apenas realista.

Existem os políticos honestos? Creio que sim. Votei em dois deles: o Delegado Protógenes e Leci Brandão. São pessoas responsáveis.

Procuro preservar meus filhos, embora já estejam crescidos e casados.

Procuro preservar minha esposa, pois hoje, cada dia é uma surpresa inesperada, e não se sabe o que pode acontecer.

Precisamos de legislação mais rígida que acompanhe estes novos tempos, que puna os que destroem famílias, matando, atropelando, assaltando, drogando, corrompendo.

O Brasil agradece.

Dilma atenção!

O sinal está amarelo!