terça-feira, 20 de setembro de 2011

Vocês sabem qual é a minoria mais discriminada?

Vamos lá, dou três de lambuja para vocês.

Serão os negros, os afrodescendentes, que passaram por 3 séculos de escravidão no país, e com a República foram marginalizados?

Ou estarão as mulheres, excluídas, ainda desniveladas de direitos relativamente aos homens, e com uma sobrecarga de trabalho doméstico, consequência de uma cultura patriarcal portuguesa?

Ou ainda o GLP, as pessoas que são retiradas do convívio social, por opção sexual diversa do heterossexualismo?

Passam por grande discriminação nos locais de trabalho, de estudo e de moradia.

Se vocês escolheram algum destes três segmentos, vocês erraram.

A minoria mais discriminada que brevemente se tornará uma maioria discriminada, devido a melhoria da qualidade de vida e consequente aumento da longevidade, são os idosos do Brasil.

São rejeitados pela família, pelo estado, pelas empresas, pelos movimentos sociais, até pelas religiões.

Os idosos não se tornaram um movimento de minoria organizada.

Ao contrário, agonizam pelos cantos das cidades, abandonados, em asilos fedorentos e violentos, sem higiene, nem um recanto onde possam encostar a carcaça velha para repousar.

Não conseguem pegar um ônibus, senão quando têm passageiros que pagam, no ponto.

Não conseguem empregos, que bem poderiam ser oferecidos, pelas suas capacidades, mas que devido à sua idade, são simplesmente descartados.

Não conseguem ser respeitados pelas famílias.

Muitas famílias esquecem-se de que foram eles que os criaram, e os descartam em algum asilo, se tanto.

Se permanecem em casas de família, são maltratados psicologica ou fisicamente.

Não podem reclamar, somente elogiar.

Não podem pedir, mas apenas aguardar, no máximo.

Não podem nada.

São totalmente desprezados.

O Governo não os vê, as Igrejas os vêem um pouco, poucas famílias os protegem.

São verdadeiros párias sociais, abandonados nas praças, e nas calçadas, onde dormem.

Não tomam banhos, não tem banheiros, tem que levantar cedo, e acordados pela polícia municipal, vão desocupando as praças, ao raiar do dia.

Precisamos considerar que, com o aumento do tempo de vida dos brasileiros, este segmento crescerá muito nos próximos anos, e estará em grande desvantagem, em relação aos outras minorias, que estão ganhando espaço e aumentando seus direitos.